sexta-feira, 31 de agosto de 2012

IMB - A verdadeira doutrina defendida por Karl Marx

IMB - A verdadeira doutrina defendida por Karl Marx

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Mídia Sem Máscara - Mensalão: o que poucos sabem, e o Brasil deveria saber

Mídia Sem Máscara - Mensalão: o que poucos sabem, e o Brasil deveria saber

Mídia Sem Máscara - O Salvador filósofo

Mídia Sem Máscara - O Salvador filósofo

Juiz manda Estado de Pernambuco pagar por cirurgia de mudança de sexo

Juiz manda Estado de Pernambuco pagar por cirurgia de mudança de sexo

notalatina: Chavez: entre o MERCOSUL e o Mausoléu

notalatina: Chavez: entre o MERCOSUL e o Mausoléu: O Notalatina ficou dois meses sem atualização, em decorrência de minha mudança e depois problemas em meu computador. Entretanto, tão logo...

Conde Loppeux de la Villanueva: Sobre a difamação

Conde Loppeux de la Villanueva: Sobre a difamação: Publiquei um artigo comentando as declarações da psicóloga e professora Tatiana Lionço sobre a sexualidade das crianças, num trecho do víd...

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Somente a Verdade, Mídia s Máscara, Júlio Severo - Censurados pelo Google Pró-Homossexual.: "Ideologia de Gênero: neototalitarismo e a morte d...

Somente a Verdade, Mídia s Máscara, Júlio Severo - Censurados pelo Google Pró-Homossexual.: "Ideologia de Gênero: neototalitarismo e a morte d...: Ideologia de Gênero: neototalitarismo e a morte da família Entrevista com Jorge Scala Por Thácio Siqueira BRASILIA, terça-feira, 31 de j...

A Ordem Natural: A Nova Ordem Mundial e o Brasil

A Ordem Natural: A Nova Ordem Mundial e o Brasil: O Brasil perante os conflitos da Nova Ordem Mundial Olavo de Carvalho  OAB São Paulo - 2004 Qual o papel do Brasil na Nova Orde...

BlogdoJSilva: Cursos do MIT e Harvard com legendas em português

BlogdoJSilva: Cursos do MIT e Harvard com legendas em português

Aumento da temperatura e do CO2 ajudam a expandir a vida. Como ocultá-lo manipulando fatos científicos?

Aumento da temperatura e do CO2 ajudam a expandir a vida. Como ocultá-lo manipulando fatos científicos?

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Caça as Bruxas

http://blogdomrx.blogspot.com.br/2012/08/caca-as-bruxas.html


Caça às Bruxas
via Blog do Mr X de Mr X em 22/08/12

Uma menina cristã de 11 anos, com problemas mentais ainda por cima, está sendo acusada de "blasfêmia" no Paquistão. De acordo com a lei paquistanesa, acusados de blasfêmia podem ser condenados à morte. Apesar da pouca idade, está numa prisão para adultos. Sua família fugiu, com medo de represálias.
A acusação é baseada no "fato" de que alguém aparentemente viu a menina jogando no lixo páginas queimadas do Corão, que teria usado para cozinhar... Os rumores se espalharam e juntou-se uma multidão enraivecida querendo o linchamento ou a prisão da garota.
Além da probabilidade da própria acusação ser falsa, baseada em meros rumores, há o hediondo detalhe de se tratar de uma criança de onze anos com síndrome de Down. Mesmo que tivesse realmente queimado páginas do Corão, teria culpa? E afinal, o que há de tão grave em queimar as páginas de um mero livro? Esses muçulmanos estão loucos: idolatram um livro, mesmo sendo em sua grande maioria analfabetos...
(Quer saber como eles "lêem" o Corão, escrito ainda por cima em árabe antigo, indescifrável para a maioria da população? É simples, passando o dedo pelas linhas do livro e esperando uma iluminação de Alá. Bizarro, mas real!)
É bem mais provável que a menina esteja sendo atacada pelo mero fato de ser cristã. A minoria cristã do Paquistão (apenas 4%) come o pão que o Diabo amassou no país, e nem sei como é que existe ainda. Recentemente, o único deputado cristão do país foi assassinado.
Embora esse fanatismo burro seja típico dos muçulmanos, não é verdade que não exista de todo em outras culturas. Há meros 350 anos atrás, europeus e até americanos estavam queimando bruxas. As acusações eram, em geral, igualmente sórdidas e sem fundamento.
Vamos combinar? As multidões são burras. Uma menina de onze anos com síndrome de Down é mais inteligente do que uma multidão.
Porém, é verdade que o Islã tem um "plus a mais" de fanatismo. Afinal os hindus são, geneticamente, o mesmo povo que o paquistanês, mas não se explodem por aí com tanta freqüência, nem ficam matando os outros por blasfêmia. Certamente deve ter a ver com características da religião islâmica que incitam ao ódio contra os infiéis.
Outras religiões são menos agressivas. Ninguém ouviu falar de terrorismo budista. No máximo, há os monges do Tibet que incendeiam a si mesmos para protestar. E os cristãos, hoje em dia, quando se dão à histeria coletiva, é mais de forma inofensiva, como acreditando em estátuas de santos que choram ou em milagres da Virgem.

Se há alguma caça às bruxas e aos heresiarcas no Ocidente, hoje, esta é feita pelos progressistas ateus, que exibem quase que as mesmas características fanáticas dos muçulmanos mais ignorantes. Se alguém no mundo comete a heresia de criticar o homossexualismo, o igualitarismo racial ou o aborto, será impiedosamente linchado, se não literalmente, ao menos midiáticamente... 
Nesse fanatismo cego e burro, que se recusa a ouvir o outro lado ou mesmo à voz da razão, esquerdistas e muçulmanos se parecem. Talvez por isso se dêem tão bem, colaborando para destruir o pouco que resta do Ocidente!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Mídia Sem Máscara - Debatedores brasileiros

Mídia Sem Máscara - Debatedores brasileiros

Já notaram?

Já notaram?


Publicado em Quarta, 22 Agosto 2012 20:03
Escrito por Olavo de Carvalho

CAI/NYTS
Vocês já notaram que, de uns anos para cá, a simples opinião contrária ao casamento gay, ou à legalização do aborto, passou a ser condenada sob o rótulo de "extremismo", como se casamentos homossexuais ou abortos por encomenda não fossem novidades chocantes, revolucionárias, mas sim práticas consensuais milenares, firmemente ancoradas na História, na natureza humana e no senso comum, às quais realmente só um louco extremista poderia se opor?
Já notaram que o exibicionismo sexual em praça pública, as ofensas brutais à fé religiosa, a invasão acintosa dos templos, passaram a ser aceitos como meios normais de protesto democrático por aquela mesma mídia e por aquelas mesmas autoridades constituídas que, diante da mais pacífica e serena citação da Bíblia, logo alertam contra o abuso "fundamentalista" da liberdade de opinião?
Já notaram que o simples ato de rezar em público é tido como manifestação de "intolerância", e que, inversamente, a proibição de rezar é celebrada como expressão puríssima da "liberdade religiosa"? (Se não notaram, vejam em http://andrebarcinski.blogfolha.uol.com.br/2012/08/15/brasil-e-ouro-em-intolerancia/.)
Já notaram que, após terem dado ao termo "fundamentalista" uma acepção sinistra por sua associação com o terrorismo islâmico, os meios de comunicação mais respeitáveis e elegantes passaram a usá-lo contra pastores e crentes, católicos e evangélicos, como se os cristãos fossem os autores e não as vítimas inermes da violência terrorista no mundo?
O que certamente não notaram é que a transição fácil dos epítetos do gênero "extremista" e "fundamentalista" para o de "terrorista" já ultrapassou até mesmo a fase das mutações semânticas para se tornar um instrumento real, prático, de intimidação estatal.
Não o notaram porque nunca foi noticiado no Brasil que, nos EUA, qualquer cristão que se oponha ao aborto ou contribua para campanhas de defesa de seus correligionários perseguidos é tido pelo Homeland Security, ao menos em teoria, como alvo preferencial para averiguações de "terrorismo" (é só ver http://touchstonemag.com/merecomments/2012/07/big-sibling-janet-napolitano-may-be-looking- for-you/), embora o número de ações terroristas cometidos até agora por esse tipo de pessoas seja, rigorosamente, zero.
Em contrapartida, qualquer sugestão de que as investigações deveriam tomar como foco principal os muçulmanos ou os esquerdistas – autores da maioria absoluta dos atentados no território americano – é condenada pelo governo e pela mídia como "hate speech".
Nenhum membro do Family Research Council tinha jamais atirado em ninguém, nem esmurrado, nem sequer xingado quem quer que fosse, quando a ONG esquerdista South Poverty Law Center colocou aquela organização conservadora na sua "Hate List". Quando um fanático gayzista entrou lá gritando slogans anticristãos e dando tiros em todo mundo, nem um só órgão de mídia chamou isso de "crime de ódio".
Em todos esses casos, e numa infinidade de outros, a estratégia é sempre a mesma: quebrar as cadeias normais de associação de ideias, inverter o senso das proporções, forçar a população a negar aquilo que seus olhos veem e a enxergar, em vez disso, aquilo que a elite iluminada manda enxergar.
Não, não se trata de persuasão. As crenças assim propagadas permanecem superficiais, saindo da boca para fora enquanto as impressões que as negam continuam entrando pelos olhos e ouvidos. O que se busca é o contrário da persuasão genuína: é instilar no público um estado de insegurança histérica, em que a contradição entre o que se percebe e o que se fala só pode ser aplacada mediante o expediente de falar cada vez mais alto, de gritar aquilo que, no fundo, não se crê nem se pode crer. É um efeito calculado, uma obra de tecnologia psicológica.
Algum militante gayzista pode sinceramente crer que, num país com cinquenta mil homicídios por ano, cento e poucos assassinatos de homossexuais provem a existência de uma epidemia de ódio anti-gay? É claro que não.
Justamente porque não pode crê-lo, tem de gritá-lo. Gritá-lo para não se dar conta da farsa existencial em que apostou sua vida, e da qual depende para conservar seus amigos, seu bem protegido lugar na militância, sua falsa identidade de perseguido e discriminado numa sociedade que não ousa dizer contra ele uma só palavra.
O militante ideal desses movimentos não é o crente sincero, mas o fingidor histérico. O primeiro consente em mentir em favor de suas crenças, mas conserva alguma capacidade de julgamento objetivo e pode, em situações de crise, transformar-se num perigoso dissidente interno. O histérico, em vez disso, não tem limites na sua compulsão de tudo falsificar. O militante sincero usa da mentira como um instrumento tático; para o histérico, ela é uma necessidade incontornável, uma tábua de salvação psicológica.
Ainversão, mecanismo básico do modus pensandi revolucionário, é acima de tudo um sintoma histérico. É por isso que há décadas os movimentos revolucionários já desistiram da persuasão racional, perderam todo escrúpulo de honorabilidade intelectual e não se vexam de agitar aos quatro ventos bandeiras ostensivamente, propositadamente absurdas e autocontraditórias.
Eles não precisam de "verdadeiros crentes", cuja integridade causa problemas. Precisam de massas de histéricos, cheios da "passionate intensity" de que falava W. B. Yeats, prontos a encenar sofrimentos que não têm, a lutar fanaticamente por aquilo em que não creem, precisamente porque não creem e porque só a teatralização histérica mantém vivos os seus laços de solidariedade militante com milhares de outros histéricos.
Olavo de Carvalho é ensaísta, jornalista e professor de Filosofia

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): Cinco em cada 30 casos registrados são de mau uso ...

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): Cinco em cada 30 casos registrados são de mau uso ...:   O homem da Lei Maria da Penha Um casamento que durou seis anos teve um final triste para um homem. Ele alega que a ex-mulher usou a...

domingo, 19 de agosto de 2012

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): O Kit gay chegou nas escolas privadas

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): O Kit gay chegou nas escolas privadas: O livro didático “Menino Brinca de Boneca?” citado acima foi adotado pelo Ministério da Educação como referência para alfabe...

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): Ex-prefeito César Maia é condenado por construir i...

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): Ex-prefeito César Maia é condenado por construir i...: Fonte Entendendo que a Constituição “não admite a utilização de dinheiro público para a construção de um templo de uma única religião, ...

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): Município de Niterói é condenado a indenizar favel...

Roberto Cavalcanti (www.midiacatolica.org): Município de Niterói é condenado a indenizar favel...: Fonte O juiz Alberto Republicano de Macedo Júnior condenou o Município de Niterói a pagar o equivalente a 500 salários mínimos, cerca d...

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Faltaram machos dentro de campo! (13/08/2012) Comentário de Luiz Carlos ...

KARL MARX e seu livro “Oulanem”: O satanismo no comunismo

KARL MARX e seu livro “Oulanem”: O satanismo no comunismo

True Outspeak - Olavo de Carvalho - 8 de agosto de 2012

Mídia Sem Máscara - Números reveladores sobre os islâmicos

Mídia Sem Máscara - Números reveladores sobre os islâmicos

Escrito por Blog De Olho na Jihad | 14 Agosto 2012
Artigos - Religião
Ao criticar o Islã, você com certeza deparou-se com a clássica argumentação que as ações extremistas são na verdade atos de uma ínfima minoria, e que portanto, o Islã é uma religião de paz, pois a grande maioria dos muçulmanos são pacíficos. Na verdade, mesmo uma pequena minoria, “1%” dos muçulmanos em todo o mundo, representa cerca de 15 milhões de crentes, portanto, de forma alguma trata-se de um número insignificante. No entanto, a “minoria” dos muçulmanos que aprovam os terroristas, seus métodos e objetivos, é muito maior do que essa cifra. Na verdade, dependendo dos objetivos almejados, já não existe mais a tal “minoria extremista”.

As pesquisas que serão apresentadas abaixo demonstram a opinião dos muçulmanos acerca do terrorismo, al-Qaeda, Osama Bin Laden, os ataques de 11 de setembro, a violência em defesa do Islã, a sharia, os crimes de honra e questões relacionadas a integração à sociedade ocidental. Os resultados são reveladores. É um tapa no politicamente correto.

Obs: O The Religion of Peace vem recolhendo esses dados há anos, portanto, alguns são de anos atrás, e podem portanto, estarem desatualizados.

Eis a face ocultada dos muçulmanos:

Terrorismo

Enquete:
20% dos muçulmanos britânicos simpatizam com o atentado de 07/07

Pesquisa: 1 em cada 4 muçulmanos britânicos dizem que os atentados de 07/07 foram justificados.
Fontes:
http://www.cbsnews.com/stories/2006/08/14/opinion/main1893879.shtml&date=2011-04-06

http://www.webcitation.org/5xkMGAEvY

People-press:

  • 31% dos turcos apoiam atentados suicídas contra ocidentais no Iraque
Fonte:http://people-press.org/report/206/a-year-after-iraq-war

Ynet:

  • Um terço dos palestinos (32%) apoiam o massacre contra a família judia Fogel
Fontes:http://pajamasmedia.com/tatler/2011/04/06/32-of-palestinians-support-infanticide/
http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4053251,00.html

World Publicopinion:

  • 61% dos egípcios aprovam ataques a americanos
  • 32% dos indonésios aprovam ataques a americanos
  • 41% dos paquistaneses aprovam ataques a americanos
  • 38% dos marroquinos aprovam ataques a americanos
  • 83% dos palestinos aprovam os ataques a americanos e os grupos que realizam as ações (apenas 14% se opõem)
  • 62% dos jordanianos aprovam os ataques a americanos e os grupos que realizam as ações (21% se opõem)
  • 42% dos turcos aprovam alguns ou a maioria dos grupos que atacam os americanos (45% se opõem)
Uma minoria de muçulmanos discordam inteiramente com os atentados terroristas contra os americanos:

Egito: 34%; Indonésia 45% e Paquistão 33%

Cerca da metade dos que apoiam ataques aos americanos foram simpáticos com as ações da Al-Qaeda contra os EUA.

Fonte:
http://www.worldpublicopinion.org/pipa/pdf/feb09/STARTII_Feb09_rpt.pdf

Pew Research (2010):

  • 55% dos jordanianos têm uma visão positiva do Hezbollah
  • 30% dos egípcios têm uma visão positiva do Hezbollah
  • 45% dos nigerianos muçulmanos têm uma visão positiva do Hezbollah (26% possuem uma visão negativa)
  • 43% dos indonésios têm uma visão positiva do Hezbollah (30% negativos)

Pew Research (2010):

  • 60% dos jordanianos têm uma visão positiva do Hamas (34% negativo)
  • 49% dos egípcios têm uma visão positiva do Hamas (48% negativo)
  • 49% dos nigerianos muçulmanos têm uma visão positiva do Hamas (25% negativo)
  • 39% dos indonésios têm uma visão positiva do Hamas (33% negativo)
Pew Research (2010):
  • 15% dos indonésios acreditam que os atentados suicídas são justificados.
  • 34% dos nigerianos muçulmanos acreditam que os atentados suicídas são justificados.
Fonte:
http://pewglobal.org/2010/12/02/muslims-around-the-world-divided-on-hamas-and-hezbollah/

Populud Poll (2006):
  • 12% dos jovens muçulmanos britânicos, acreditam que os ataques suicídas contra civis na Grã-Betanha são justificados. Um em cada quatro jovens muçulmanos da Grã-Betanha apoiam ataques suicídas contra as tropas britânicas.
Fontes:http://www.populuslimited.com/pdf/2006_02_07_times.pdf
http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist

Pew Research (2007):
  • 26% dos jovens muçulmanos do Estados Unidos acreditam que os atentados suicídas são justificados.
  • 35%¨dos jovens muçulmanos na Grã-Betanha acreditam que os atentados suicídas são justificados
  • 42% dos jovens muçulmanos da França acreditam que os atentados suicídas são justificados
  • 22% dos jovens muçulmanos da Alemanha acreditam que os atentados suicídas são justificados
  • 29% dos jovens muçulmanos da Espanha acreditam que os atentados suicídas são justificados

Pew Research (2011):

  • 8% dos muçulmanos dos Estado Unidos acreditam que os atentados suicídas são justificados (81% dizem que nunca é justificado)
  • 28% dos egípcios muçulmanos acreditam que os atentados suicídas são justificados (38% dizem que nunca é justificado)
Pew Research (2007):
  • Muçulmanos americanos que se identificam mais com a sua religião são três vezes mais propensos a sentir que os atentados suicídas são justificados.
Fonte:
http://pewresearch.org/assets/pdf/muslim-americans.pdf#page=60

ICM:

  • 5% dos muçulmanos da Grã-Betanha disseram nas pesquisas que não denunciariam, caso tivessem conhecimento de planos de atentados terroristas contra as autoridades do país.
  • 27% não concordam com a deportação de extremista islâmicos que preguem a violência e o ódio.
Fontes:http://www.scotsman.com/?id=1956912005
http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist.html
Federação das Sociedades de Estudantes Islâmicos:
  • Cerca de 1 em cada 5 estudantes muçulmanos da Grã-Betanha (18%) não denunciariam caso algum um comapanheiro muçulmano estivesse planejando realizar ataques terroristas.
Fontes:
http://www.fosis.org.uk/sac/FullReport.pdf

http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist

ICM Enquete:

  • 25% dos muçulmanos britânicos discordam que um muçulmano tem a obrigação de denunciar os terroristas à polícia.
Fonte:
http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist


Populus Poll (2006):

  • 16% dos muçulmanos britânicos acreditam que os ataques suicidas contra israelenses são justificados.
  • 37% acreditam que os judeus na Grã-Bretanha são um "alvo legítimo".
Fontes:
http://www.populuslimited.com/pdf/2006_02_07_times.pdf

http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist

Veja também: http://wikiislam.net/wiki/Muslim_Statistics_

(Terrorismo) para as estatísticas sobre o terror islâmico.

Al-Qaeda e Osama Bin Laden

Pew Research (2007):
  • 5% dos muçulmanos americanos apoiam à al-Qaeda(27% são simpáticos ao grupo). Apenas 58% à organização terrorista.
Fontes: http://pewresearch.org/assets/pdf/muslim-americans.pdf#page=60
Pew Research (2011):
  • 1 em cada 10 muçulmanos nascidos nos EUA têm
  • uma visão favorável da al-Qaeda.
Al-Jazeera (2006):
  • 49,9% dos muçulmanos entrevistados apoio Osama bin Laden
Fonte:
http://terrorism.about.com/b/2006/09/11/al-jazeeras-readers-on-911-499-support-bin-laden.htm

Pew Research:
  • 59% dos indonésios apoiam Osama bin Laden (2003)
  • 41% dos indonésios apoiam Osama bin Laden (2007)
  • 56% dos jordanianos apoiam Osama bin Laden (2003)
Fonte:
http://www.forbes.com/2010/02/15/iran-terrorism-al-qaida-islam-opinions-columnists-ilan-berman.html

Pew Global:
  • 51% dos palestinos apoiam Osama bin Laden
  • 54% dos muçulmanos nigerianos apoiam Osama bin Laden
Fontes:
http://frontpagemag.com/2010/02/10/blinded-by-hate/

http://pewglobal.org/files/pdf/268.pdf

MacDonald Laurier Institute:

  • 35% dos muçulmanos canadenses são favoráveis a al-Qaeda
Fonte:
http://www.torontosun.com/2011/11/01/strong-support-for-shariah-in-canada

Maioria dos muçulmanos concordam com a Al-Qaeda quanto a oposição aos valores ocidentais em países islâmicos:
  • Egito: 88%;
  • Indonésia 76%;
  • Paquistão 60%;
  • Marrocos 64%
Fonte:
http://www.worldpublicopinion.org/pipa/pdf/feb09/STARTII_Feb09_rpt.pdf


ICM Enquete:

  • 13% dos muçulmanos na Grã-Bretanha apoiariam um ataque da al-Qaeda aos Estados Unidos.
Fontes:
http://www.icmresearch.co.uk/reviews/2004/guardian-muslims-march-2004.asp

http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist


World publicopinion – Opinião em relação a Osama bin Laden:

  • Egito: 44% positivas, 17% negativas e 25% uma mistura de sentimentos. Indonésia: 14% positivas, 26% negativas, 21% sentimentos mistos (39% não responderam)
  • Paquistão: 25% positivas, 15% negativas, 26% sentimentos mistos (34% não responderam)
  • Marrocos: 27% positivas, 21% negativas, 26% uma mistura de sentimentos
  • Jordanianos: 27% positiva, 20% negativos, e 27% sentimentos mistos.
  • Palestinos: 56% positivas, 20% negativas, 22% sentimentos mistos).
Fonte:
http://www.worldpublicopinion.org/pipa/pdf/feb09/STARTII_Feb09_rpt.pdf

Pew Research (2010):

  • 49% dos nigerianos muçulmanos têm opinião favorável quanto à Al-Qaeda (34% desfavoráveis)
  • 23% dos indonésios têm opinião favorável em relação à Al-Qaeda (56% desfavoráveis)
  • 34% dos jordanianos têm opinião favorável em relação à Al-Qaeda
  • 25% dos indonésios têm "confiança" em Osama bin Laden (em 2003 era 59%)
  • 1 em cada 5 egípcios têm "confiança" em Osama bin Laden
Fonte:
http://pewglobal.org/2010/12/02/muslims-around-the-world-divided-on-hamas-and-hezbollah/


Pew Research (2011):

  • 22% dos indonésios têm uma visão favorável da al-Qaeda (21% desfavoráveis).
Gallup:
  • 51% dos paquistaneses sofreram pela morte de Osama bin Laden (apenas 11% ficaram felizes com sua morte).
  • 44% dos paquistaneses veem Osama bin Laden como um mártir.
Fonte:
http://www.americanthinker.com/blog/2011/05/majority_of_our_pakistani_alli.html


Populus Limited:

  • 18% dos muçulmanos britânicos ficariam orgulhosos ou indiferentes se um membro da família se unisse a al-Qaeda.
Fonte:
http://www.populuslimited.com/poll_summaries/2006_07_04_Times_ITV.htm

http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist


Policy Exchange(2006):

  • 7% dos muçulmanos na Grã-Bretanha admiram a al-Qaeda e outros grupos terroristas.
Fontes:
http://www.policyexchange.org.uk/images/libimages/246.pdf

http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist


Atentados terroristas de 11 de setembro

al-Arabiya:

  • 36% dos árabes entrevistados disseram que os ataques de 9/11 eram moralmente justificados; 38% discordaram, 26% não responderam.
Fonte:
http://www.alarabiya.net/articles/2011/09/10/166274.html

Gallup:

  • 38,6% dos muçulmanos acreditam que os ataques de 9/11 foram justificados.
Fonte:
http://elderofziyon.blogspot.com/2008/05/that-tiny-percentage-of-radical-muslims.html

http://www.washingtoninstitute.org/templateC06.php?CID=1154


Violência em defesa do Islã


40% dos indonésios aprovam a violência em defesa do Islã.


Fonte:
http://www.thejakartapost.com/detailweekly.asp?fileid=20060728.@03



Pew Global:

  • 68% dos muçulmanos palestinos dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
  • 43% dos nigerianos muçulmanos dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
  • 38% dos muçulmanos libaneses dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
  • 15% dos egípcios muçulmanos dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
  • 13% dos muçulmanos indonésios dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
  • 12% dos jordanianos muçulmanos dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
  • 7% dos muçulmanos israelenses dizem que os ataques suicidas contra civis, em defesa do Islã, são justificados.
Fonte:
http://cnsnews.com/node/53865
(Pew Global Attitudes Projeto de setembro de 2009)

Social Cohesion:

  • Um terço dos estudantes muçulmanos britânicos, apoiam assassinatos em prol do Islã
Fonte:
http://www.socialcohesion.co.uk/pdf/IslamonCampus.pdf
Policy Exchange:
  • Um terço dos muçulmanos britânicos acreditam que qualquer um que deixe o Islã deve ser morto
Fonte:
http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf

NOP Research:
  • 78% dos muçulmanos britânicos apoiam punições aos editores de caricaturas de Maomé
Fontes:
http://www.cbsnews.com/stories/2006/08/14/opinion/main1893879.shtml&date=2011-04-06
http://www.webcitation.org/5xkMGAEvY
  • Dos muçulmanos ingleses ouvidos, 29% defenderiram agressivamente o Islã.
Fontes:
http://www.cbsnews.com/stories/2006/08/14/opinion/main1893879.shtml&date=2011-04-06

http://www.webcitation.org/5xkMGAEvY


Pew Research (2010):

  • 84% dos egípcios muçulmanos apoiam a pena de morte para quem deixar o Islã
  • 86% dos jordanianos muçulmanos apoiam a pena de morte para quem deixar o Islã
  • 30% dos muçulmanos indonésios apoiam a pena de morte para quem deixar o Islã
  • 76% dos paquistaneses apoiam a pena de morte para quem deixar o Islã
  • 51% dos muçulmanos da Nigéria apoiam a pena de morte para quem deixar o Islã
Fonte:
http://pewglobal.org/2010/12/02/muslims-around-the-world-divided-on-hamas-and-hezbollah/

ICM Enquete:
11% dos muçulmanos britânicos consideram aceitável a violência com fins religiosos ou políticos.

http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist


Terrorism Analysts:

  • 51% das mesquitas nos EUA têm textos extremistas pregando a violência, 30% têm textos classificados como moderadamente violentos, e apenas
  • 19% das mesquitas não têm textos violentos.
Fonte:
http://www.terrorismanalysts.com/pt/index.php/pot/article/view/sharia-adherence-mosque-survey/html



Sharia (Lei Islâmica)

  • 83% dos paquistaneses apoiam o apedrejamento de adúlteros
  • 78% dos paquistaneses apoio a morte aos apóstatas
Fonte:
http://www.realcourage.org/2009/08/pakistan-78-percent-call-for-apostate-deaths/


Social Cohesion:

  • 40% dos estudantes muçulmanos britânicos querem a Sharia para o país.
Fonte:
http://www.socialcohesion.co.uk/pdf/IslamonCampus.pdf

ICM Enquete:

  • 40% dos muçulmanos britânicos querem a Sharia no Reino Unido
GfK NOP pesquisa:
  • 28% dos muçulmanos britânicos querem a Grã-Bretanha como um Estado islâmico
Fonte:
http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf

NOP Research:

  • 68% dos muçulmanos britânicos apoiam a detenção e julgamento de qualquer pessoa que insulte o Islã.
Fonte:
http://www.cbsnews.com/stories/2006/08/14/opinion/main1893879.shtml&date=2011-04-06

http://www.webcitation.org/5xkMGAEvY



Toronto Sun:

  • 62% dos muçulmanos querem a Sharia no Canadá (15% dizem querem torná-la obrigatória a todos)
Fonte:
http://www.torontosun.com/2011/11/01/strong-support-for-shariah-in-canada

Worldpublic Opinion:

  • 81% dos egípcios querem a Sharia imposta em todos os países islâmicos de forma rigorosa.
  • 76% dos paquistaneses querem leis islâmicas rigorosas impostas em todos os países islâmicos
  • 49% dos indonésios querem a Sharia imposta em todos os países islâmicos de forma rigorosa
  • 76% dos marroquinos querem a Sharia imposta em todos os países islâmicos de forma rigorosa
Fonte:
http://www.worldpublicopinion.org/pipa/pdf/feb09/STARTII_Feb09_rpt.pdf


Worldpublic Opinion:

  • 64% dos egípcios disseram que era "muito importante para o governo, aplicar castigos tradicionais para alguns crimes. Por exemplo, o apedrejamento de adúlteros".
Fonte:
http://www.worldpublicopinion.org/pipa/pdf/feb09/STARTII_Feb09_rpt.pdf

Pew Research (2010):
  • 77% dos egípcios muçulmanos são a favor das flagelações e amputações
  • 58% dos jordanianos muçulmanos são a favor das flagelações e amputações
  • 36% dos muçulmanos indonésios são a favor das flagelações e amputações
  • 82% dos paquistaneses são a favor das flagelações e amputações
  • 65% dos muçulmanos da Nigéria são a favor das flagelações e amputações
Fonte:
http://pewglobal.org/2010/12/02/muslims-around-the-world-divided-on-hamas-and-hezbollah/

Pew Research (2010):

  • 82% dos egípcios muçulmanos são a favor do apedrejamento de adúlteros
  • 70% dos jordanianos muçulmanos são a favor do apedrejamento de adúlteros
  • 42% dos muçulmanos indonésios são a favor do apedrejamento de adúlteros
  • 82% dos paquistaneses são a favor do apedrejamento de adúlteros
  • 56% dos muçulmanos da Nigéria são a favor do apedrejamento de adúlteros

Fonte:
http://pewglobal.org/2010/12/02/muslims-around-the-world-divided-on-hamas-and-hezbollah/

Mortes em defesa da Honra

Ministério da Educação Turco:

  • 1 em cada 4 turcos são a favor do assassinato em defesa da honra
Fontes:
http://www.realcourage.org/2009/03/turkey-war-on-women/

http://www.todayszaman.com/newsDetail_getNewsById.action?load=detay&link=170502&bolum=100



Civitas:

  • 1 em 3 muçulmanos no Reino Unido concordam que uma mulher deve ser forçada a obedecer as ordens de seu marido
Fontes:
http://www.imaginate.uk.com/MCC01_SURVEY/Site20Download.pdf%

http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf

BBC Enquete:

  • 1 em cada 10 muçulmanos britânicos apoiam matar um membro da família que tenha cometido uma "desonra".
Middle East Quarterly:
  • 91 por cento dos crimes de honra são cometidos por muçulmanos em todo o mundo.
Fonte:
http://www.canadafreepress.com/index.php/article/43207

95% dos crimes de honra no Ocidente são perpetrados pelos pais e irmãos muçulmanos ou seus parentes.

  • Um levantamento das mulheres muçulmanas nos subúrbios de Paris descobriu que três quartos delas usam o véu por medo da violência que podem sofrer, seja física ou psicológica.
Fonte:
http://www.nugget.ca/ArticleDisplay.aspx?e=3402230


Integração à sociedade

Os muçulmanos têm maiores índices de dificuldade de se integrarem a sociedade no Reino Unido (24% dos homens, 21% das mulheres)

Em 2010, 16% dos presos no Reino Unido eram muçulmanos (os
muçulmanos constituem cerca de 3% da população)

Policy Exchange:

  • 1 em cada 4 muçulmanos no Reino Unido nunca ouviram falar do Holocausto;
  • 34% dos muçulmanos britânicos acreditam que o holocausto nunca aconteceu.
Fontes:
http://www.imaginate.uk.com/MCC01_SURVEY/Site20Download.pdf%

http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf

Civitas UK:

  • 51% dos muçulmanos britânicos acreditam que uma mulher não pode casar com um não-muçulmano
  • Apenas 51% acreditam que uma mulher muçulmana pode se casar sem o consentimento do tutor
Fonte:http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf

Policy Exchange:
  • 52% dos muçulmanos britânicos acreditam que um homem muçulmano tem direito de ter até quatro esposas.
Fonte:
http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf

Civitas UK:

  • 61% dos muçulmanos britânicos querem que os homossexuais sejam punidos.
Fonte:
http://www.civitas.org.uk/pdf/ShariaLawOrOneLawForAll.pdf


NOP Research:

  • 62% dos muçulmanos britânicos não são a favor da liberdade de expressão;
Fontes:
http://www.cbsnews.com/stories/2006/08/14/opinion/main1893879.shtml&date=2011-04-06


http://www.webcitation.org/5xkMGAEvY

ICM Enquete:
  • 58% dos muçulmanos britânicos acreditam que insultos ao islã devem resultar em processo criminal
Fonte:http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist
Pew Global (2006):
  • Apenas 7% dos muçulmanos britânicos se consideram primeiramente britânicos (81% dizem que são "muçulmanos" e não "britânicos")
Fonte:http://pewglobal.org/reports/pdf/254.pdf

Policy Exchange (2006):

  • 31% muçulmanos na Grã-Bretanha se identificam mais com os muçulmanos de outros países do que com os não-muçulmanos britânicos.
Fontes:
http://www.policyexchange.org.uk/images/libimages/246.pdf
http://www.christiantoday.com/article/religion.still.matters.global.survey.finds/28257.htm

Pew Research (2011):

  • Os muçulmanos americanos são quatro vezes mais propensos a dizerem que as mulheres não devem trabalhar fora de casa.
Fonte:
http://www.people-press.org/2011/08/30/section-5-political-opinions-and-social-values/

Pew Research (2007):

  • 26% dos muçulmanos americanos não querem integração com a sociedade(43% apoiam a integração)
Fonte:
http://pewresearch.org/assets/pdf/muslim-americans.pdf#page=60
Pew Research (2011):
  • 20% dos muçulmanos americanos não querem integração com a sociedade (56% apoiam a integração)
Pew Research (2011):
  • 49% dos muçulmanos norte-americanos dizem que são "primeiramente muçulmanos" (26% disseram ser primeiro americanos)
Pew Research (2011):
  • 21% dos muçulmanos norte-americanos dizem que há grande quantidade de discrusos extremistas em suas comunidades.
Fonte:
http://www.people-press.org/2011/08/30/section-6-terrorism-concerns-about-extremism-foreign-policy/

ICM Enquete:

  • 11% dos muçulmanos britânicos consideram violência para fins políticos aceitável.
Fonte:
http://www.danielpipes.org/blog/2005/07/more-survey-research-from-a-british-islamist



Fonte: TheReligionofPeace.com